sexta-feira, 30 de março de 2012

O tempo

Google Images


Como escreveu o Padre Antonio Vieira (1608-1697), em seu Sermão do Mandato (1643), o tempo é um remédio que, entre outras coisas, tudo digere, cura e faz esquecer. Apesar de ele ser autônomo e indomável, faz maravilhas na vida de muita gente, especialmente, em se tratando de dores da alma ou sentimentos afins.
Assim sendo, se você estiver angustiado (a), decepcionado (a), depressivo (a) ou tudo isso junto e, portanto, infeliz, dê uma chance ao tempo que ele vai lhe ajudar. Só não se esqueça de fazer a sua parte: reaja e dê a volta por cima! Sei bem o que estou escrevendo...

quinta-feira, 29 de março de 2012

... uma fé enorme

Google Images


[...] “Te desejo uma fé enorme. Em qualquer coisa, não importa o quê. Desejo esperanças novinhas em folha, todos os dias. Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz. As coisas vão dar certo. Vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – se não tiver, a gente inventa. Te quero ver feliz, te quero ver sem melancolia nenhuma. Certo, muitas ilusões dançaram. Mas eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, eu faço força para manter algumas esperanças acesas, como velas…”


Caio Fernando Loureiro de Abreu (1948 — 1996) — foi um jornalista, dramaturgo e escritor brasileiro.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Dia do Revisor



Neste 28 de março, comemoramos o Dia do Revisor. Lamentavelmente, ele é um profissional raro e pouco valorizado, se considerarmos a importância de seu trabalho. Por uma questão de economia, o revisor de textos vem sendo trocado por ferramentas virtuais – os famosos corretores ortográficos – estes, por melhores que sejam, jamais o substituirão a contento.
O bom revisor não se limita a fazer meras correções gramaticais. Ele vai além: entre outras coisas, verifica a coerência discursiva, intervém e interage com o objetivo de aperfeiçoar o texto – tarefa que nenhum software é capaz de realizar.
Daqui envio os meus cumprimentos aos revisores, pelos quais tenho respeito e admiração.

sábado, 24 de março de 2012

Para refletir...

"Cada sonho que você deixa para trás é um pedaço do seu futuro que deixa de existir."

(Steve Jobs)

quinta-feira, 22 de março de 2012

Acessibilidade na UFERSA

Amanhã, 23/03, teremos o encerramento do seminário "UFERSA: construindo o caminho da acessibilidade".
Estou participando como palestrante. Tem sido uma experiência gratificante falar a respeito do tema inclusão e interagir com professores e alunos do ensino superior.
A adesão nos três campi da UFERSA (Pau dos Ferros, Caraúbas e Angicos) foi excelente. Esperamos que, amanhã, ocorra o mesmo em Mossoró.


Para saber mais, por favor, clique aqui.

sábado, 17 de março de 2012

Hoje eu quero agradecer...

Imagem: WEB

Pela vida, pela fé, pela saúde e pela paz interior;
Pelo ar que respiro e pela água
Que utilizo para diversos fins;
Pela energia que me facilita o dia a dia;
Pela família harmoniosa;
Pelos amigos sinceros;
Pelo amor - sempre presente em meu coração,
Que é a principal fonte de minha inspiração;
Pelo entusiasmo, pelas emoções e lembranças
E pelos desafios que impulsionam o meu viver;
Pela oportunidade de escolher entre o sim e o não,
O certo e o errado, o bem e o mal;
Pelo privilégio de ouvir - principalmente, a música;
Pelas imagens que posso ver, memorizar
E traduzir em palavras;
Pelos livros essenciais e responsáveis
Por grande parte do meu conhecimento;
Pelos pais e professores aos quais devo a educação
E a aquisição de valores morais e éticos;
Pelos sorrisos que recebo e amo retribuir;
Pela esperança e paciência que conservo;
Enfim, pela internet que me abre esta janela para o mundo
E possibilita que, mesmo de longe, eu possa interagir com você.


Copyright © Josselene Marques

Humano Amor de Deus - Pe. Fábio de Melo

O amor de Deus resiste ao tempo
Google Images


Tens o dom de ver estradas
Onde eu vejo o fim
Me convences quando falas:
Não é bem assim!
Se me esqueço, me recordas
Se não sei, me ensinas.
E se perco a direção
Vens me encontrar

Tens o dom de ouvir segredos
Mesmo se me calo
E se falo me escutas
Queres compreender

Se pela força da distância
Tu te ausentas
Pelo poder que há na saudade
Voltarás!

Quando a solidão doeu em mim
Quando o meu passado não passou por mim
Quando eu não soube compreender a vida
Tu vieste compreender por mim

Quando os meus olhos não podiam ver
Tua mão segura me ajudou a andar
Quando eu não tinha mais amor no peito
Teu amor me ajudou a amar

Quando os meus sonhos vi desmoronar
Me trouxeste outros pra recomeçar
Quando me esqueci que era alguém na vida
Teu amor veio me relembrar

Que Deus me ama
Que não estou só
Que Deus cuida de mim
Quando fala pela tua voz
E me diz: coragem! (bis)

quinta-feira, 15 de março de 2012

Dia Nacional da Poesia


Livro e jornal lançados no Dia  Nacional da Poesia
Foto: Josselene Marques

O jornalista e escritor Mário Gerson fez a apresentação
 da obra e de seus autores
(à direita, o radialista e jornalista Rodrigo Rodrigues)
Foto:Josselene Marques



Ontem, em Mossoró, o Dia Nacional da Poesia foi lembrado e comemorado com uma variada programação que constou de apresentações culturais em escolas das redes pública e particular, lançamentos literários, recitais e shows com músicos locais, em pontos distintos da cidade; enfim, manifestações dos amantes da cultura e, em especial, da poesia.

Diante de tantas opções, decidi prestigiar o lançamento do livro Poesia Clandestina (antologia poética) de autoria de Camila Paula, Ellen Dias e Samuel Paiva – este volume I traz o selo do jornal Clandestino numa parceria com a editora Queima-Bucha. Simultaneamente, também, foi lançada a edição 21 do jornal Clandestino. Sem dúvida, fiz uma escolha acertada, pois foi uma noite agradabilíssima na qual pude apreciar a poesia e a cultura desses três jovens – verdadeiros “achados” do olho clínico do escritor e jornalista Mário Gerson, responsável pela criação do referido jornal, do blog e do Movimento Literário Novos Poetas na Terra do Sal, do Sol e do Petróleo.

O livro Poesia Clandestina nos presenteia com 89 poemas – já li todos! Cheguei a emocionar-me com alguns deles, entre os quais destaco: “Vó – amor maior” de Camila Paula, “A tristeza dos olhos calados” de Ellen Dias e ”Ampulheta sádica” de Samuel Paiva.

Ellen Dias, Mário Gerson, Camila Paula e Samuel Paiva
Foto: Josselene Marques



Entre outros temas, eles falam da alma de poeta, de libertação, s(u)eparação e sacrifícios. Mostram que, mesmo exercendo o ofício de poeta, o homem pode, num momento de desilusão, nas madrugadas insones, escrever uma poesia largada e, ao raiar de um novo dia, esse mesmo poema inacabado, dedicado à menina que passa na rua, que o fez lembrar-se da mulher amada, poderá converter-se em tênue esperança para uma alma perdida. Ele, embora ainda saudade, terá tempo para o último suspiro, o último poema no qual expressará seu mal-estar pela existência da casa vazia - o mesmo lugar no qual se deixou seduzir pela volúpia e pelo feitiço da mulher-vinho – agora viajante. Com a tristeza dos olhos calados, reflete-se no espelho o miserável espectro humano.

Obs.: As palavras em fontes coloridas correspondem aos nomes de alguns poemas constantes nesta coletânea, conforme a seguinte legenda de autoria: Ellen Dias, Camila Paula e Samuel Paiva. Esta “resenha” nada mais é do que um exercício de escrever, uma viagem que fiz através dos títulos dos poemas. Para saber o real conteúdo da obra e poder apreciar a beleza e a riqueza dos versos dos Novos Poetas, sugiro adquirir o livro – é muito bom!






terça-feira, 13 de março de 2012

A CARTEIRA DE TRABALHO

Imagem disponível em:
http://www.dicasgratisbrasil.com/como-tirar-carteira-de-trabalho/


Em março de 1932, o novo governo do Brasil, chefiado por Getúlio Vargas, criou um pequeno documento que mudou a vida de muita gente das cidades: a carteira de trabalho. Até então, em um país saído da escravidão há menos de cinco décadas, a desconsideração pelos operários era imensa, e pelos camponeses ainda maior. A carteira de trabalho, a ser obrigatoriamente assinada pelos patrões, tornou-se um registro importante para que a massa trabalhadora urbana, tão explorada, pudesse reivindicar seus direitos. Há 80 anos, portanto, depois de muita luta, começava no Brasil o lento reconhecimento da dignidade de quem trabalha. Afinal, são os trabalhadores que verdadeiramente produzem as riquezas, ainda tão mal distribuídas entre nós.

Chico Alencar, autor de BR-500 – Um guia para a redescoberta do Brasil, Editora Vozes.

domingo, 11 de março de 2012

Poesia Clandestina - Convite dos Novos Poetas



Os novos poetas Ellen, Samuel e Camila
Foto disponível em: http://letrasinversoreverso.blogspot.com/


"Em Mossoró, a data em que se comemora o Dia Nacional da Poesia (14 de março) será lembrada com o lançamento do jornal Clandestino (edição 21) e do livro Poesia Clandestina (antologia poética) de autoria de Camila Paula, Ellen Dias e Samuel Paiva, às 19h, na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte."

Para saber mais, por favor, clique aqui.

Privilégios

Google Images


Poder ver o nascer e o pôr do Sol,
Deixar-se banhar pela luz da Lua,
Translumbrar-se com o brilho das estrelas,
Embalar-se na cadência das ondas do mar,
Sentir a brisa acarinhando a pele;
Poder aspirar o perfume das flores,
O aroma do alimento favorito,
O cheiro da pessoa amada;
Ouvir o canto dos pássaros,
Uma linda canção,
A voz de um ente querido;
Ter autonomia para andar, correr, alimentar-se;
Ter motivos para sorrir, liberdade para ir e vir,
Direito e coragem de dizer sim ou não;
Ter alguém que faça disparar seu coração;
Ter madureza e equilíbrio emocional para confortar,
Orientar, encaminhar quem de sua ajuda necessitar;
Ter um porto seguro do qual possa valer-se,
Um trabalho que lhe enobreça e sustente;
Disposição para aprender diariamente,
Entre outras coisas, são privilégios
Que nem sempre valorizamos.
Somente quando deles nos privamos
É que reconhecemos seus préstimos.


Copyright ©Josselene Marques

sábado, 10 de março de 2012

Origem da expressão "banho-maria"

Google Images


Esta expressão teve origem entre os séculos XIII e XIV a.C. Nós a utilizamos para designar um processo que consiste em aquecer, lenta e uniformemente, qualquer substância líquida ou sólida num recipiente, submergindo-o noutro, no qual há água fervente. É uma forma de conservar a textura e o sabor de certos alimentos que não resistem ao calor excessivo. A expressão também homenageia a inventora desse processo: a alquimista judia Maria - irmã de Moisés, o conhecido líder hebreu.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Alguns dos Livros Que Mudaram O Mundo

Google Images

A partir do aparecimento dos seres humanos, estes registraram seus pensamentos em paredes, pedras, papiros e, depois, em livros. De vez em quando, certos livros abalam as leis sociais dominantes, transformando o modo de pensar e de agir de muitos. Atualmente, é possível ter acesso a livros de forma gratuita, porque muitos estão disponíveis na internet. A lista a seguir não inclui todos os livros que abalaram o mundo; ela é apenas a enumeração de alguns títulos mais famosos:

1 – A BÍBLIA

É um livro singular, inspirado por Deus. Diversos escribas, sacerdotes, reis, profetas e poetas (2Tm 3.16; 2Pe 1.20,21) o escreveram, num período aproximado de 1.500 anos. Foram mais de 40 pessoas e, notadamente, vê-se a mão de Deus na sua unidade. Estes textos foram copiados e recopiados, de geração para geração, em diversos idiomas, tais como: hebraico, aramaico e grego, até chegar a nós através das línguas atuais.

2 – A REPÚBLICA, DE PLATÃO (Platão compôs entre 380 e 370 a. C.)

Os gregos têm um lugar privilegiado na História. Por uma tendência natural do seu espírito, exploravam a filosofia, estudavam a natureza e preocupavam-se com os problemas sociais. Tudo com uma magistral simplicidade: Platão sublinhou conceitos morais e sociais apenas com diálogos entre seus contemporâneos. E as ideias dele ainda estão presentes entre nós, nos dias de hoje.

3 – PRINCÍPIOS MATEMÁTICOS DA FILOSOFIA NATURAL, DE ISAAC NEWTON (a 5 de julho de 1687 era publicada, em Londres, a primeira edição integral)

Através deste livro, bastante complexo para quem não tem bases nesse tipo de conhecimento, Isaac Newton revolucionou radicalmente todas as ciências de sua época. Na obra, estão os três princípios básicos da mecânica, que provavelmente você estudou ou ainda estuda: o da inércia, o da dinâmica e o da ação e reação.

4 – O KAMA SUTRA, DE VATSYAYANA (em algum momento do período Gupta [do século IV ao VI] seu autor fez a compilação dos textos eróticos anteriormente trabalhados por outros sábios)

O primeiro livro da História a tratar do sexo abertamente e de forma natural. Na Índia, o sexo é considerado sagrado e não uma coisa censurável, como acontece no Ocidente, devido às religiões cristãs. O livro descreve 64 práticas sexuais diferentes. Contam que o seu autor, Vatsyayana, praticava a castidade, mas através da meditação, atingiu um conhecimento profundo da natureza humana.

5 – SENSO COMUM, DE THOMAS PAINE (vendeu mais de 100 mil exemplares no ano de 1776)

Este livro não é muito popular no Brasil, mas é muito famoso nos Estados Unidos. Na época das monarquias e da colonização britânica, Thomas Paine começou a falar livremente sobre liberdade e tirania. Juntamente com outros autores rebeldes, como Henry Thoreau, convenceu o povo de que a Independência era uma boa ideia, criando o clima para a Revolução Americana.

6 – FOLHAS DE RELVA, DE WALT WHITMAN (datada de 1891-92)

Tido como um dos representantes máximos da poesia, Walt Whitman foi fundamental para quebrar barreiras dentro desse estilo. Ele livrou a poesia dos empertigados círculos acadêmicos e criou uma linguagem mais próxima de todos. Também conseguiu unir o romantismo e o realismo, originando uma poesia livre. Influenciou muita gente, desde os beatnicks (pequeno grupo de jovens escritores que frequentavam a boêmia de Greenwich Village novaiorquina, em 1943) até os poetas modernos.

7 – A GUERRA DOS MUNDOS, DE H. G. WELLS (publicado pela primeira vez em 1898)

Escrito em 1898, A Guerra dos Mundos deu origem ao gênero hoje denominado de ficção científica. Herbert George Wells influenciou toda uma geração, inclusive a mente de crianças que começaram a sonhar em serem cientistas, astronautas etc.

8 – A REIVINDICAÇÃO DOS DIREITOS DA MULHER, DE MARY WOLLSTONECRAFT (1792)

Essa obra, publicada em 1792, num período extremamente turbulento, devido à Revolução Francesa e aos ideais de liberdade do ser humano, construiu a base do feminismo. Nela, Mary Wollstonecraft afirmou que a mulher precisava ter direito à educação para sair de sua condição inferior, e condenou o casamento como uma forma de escravidão disfarçada. Formou, assim, ideias para acabar com a sociedade patriarcal.

9 – A ORIGEM DAS ESPÉCIES, DE CHARLES DARWIN (primeira edição data de 1859)

Numa época como a atual, na qual o ateísmo está crescendo muito, este é o livro de cabeceira de muitos cientistas e pensadores. Na época de Darwin, os seguidores da religião católica (que dominava o mundo com seus dogmas) eram criacionistas, ou seja, afirmavam, fanática e irredutivelmente, que o mundo foi criado por Deus em 6 dias, como diz a Bíblia. O livro de Darwin transformou-se, então, em um dos mais terríveis “inimigos” da igreja católica, já que provou, indiscutivelmente, que os organismos evoluem, através de milhões de anos e se transformam em outros. Expressões tão usadas, atualmente, como “seleção natural”, se devem a Darwin. A Origem das Espécies é, sem nenhuma dúvida, um dos mais importantes e significativos livros científicos da História da Humanidade.

10 – PÉ NA ESTRADA, DE JACK KEROUAC (foi lançado nos Estados Unidos da América, pela primeira vez, em 1957)

Este, sem dúvida, é um clássico que marcou toda uma geração. Ainda lido por muitos “alternativos”, On The Road (título original) foi o livro base da geração hippie e beatnick, das décadas de 50 e 60, no mundo inteiro. Essa geração marcou o começo de uma contracultura cujas ideias perduram até hoje. Além da importância histórica, uma curiosidade: o livro foi escrito em apenas três dias.

Fonte: http://www.vocesabia.net/comportamento/livros-que-mudaram-o-mundo/ (adaptado)
e http://www.vivos.com.br/36.htm. Acesso: 09.03.12.



quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia Internacional da Mulher

Imagem disponível em: http://diariohistoria.blogspot.com/2008_02_21_archive.html



Em 1919, na cidade de Copenhague, durante o Congresso Internacional de Mulheres, esta data foi escolhida e oficializada como o dia ideal para homenagear a mulher. Exatamente em 8 de março de 1857, em Nova York, 129 trabalhadoras de uma fábrica têxtil foram covardemente assassinadas por reivindicarem melhores salários e redução de uma jornada de trabalho de 16 horas diárias. Seus patrões, simplesmente, ordenaram que ateassem fogo ao prédio no qual elas estavam concentradas realizando uma greve justa que entrou para a história. Desde então, a luta das mulheres por seus direitos se intensificou e tem resultado em avanços significativos. Todavia, há ainda muito a conquistar. A peleja continua.   

segunda-feira, 5 de março de 2012

Azul

Foto: Webshots


Hoje, a visão de uma obra de arte me fez lembrar de um dia especial no qual vislumbrei raros tons de azul, através da janela de um recanto à beira-mar.

Esse dia tornou-se inesquecível porque tive o privilégio de ver uma paisagem incomum: o mar, potencializado pela luz do sol, refletiu o azul do céu em monocromia de matizes vivos - quase berrantes e jamais vistos por mim até então.

Foi instantâneo o interesse despertado por aquele cenário. Não satisfeita com a limitação imposta pelo contorno da janela, deixei o meu apartamento e iniciei uma caminhada pela praia. Segui sem rumo. Deixei-me atrair por aquela beleza natural numa espécie de hipnose. Assim procedendo, ampliei o meu campo de visão e pude avistar, mais claramente, o azul do céu e o do seu reflexo na imensidão do mar. Que espetáculo! Cheguei a perder a noção do tempo.

Foi uma experiência maravilhosa ter o privilégio de enxergar, simultaneamente e de forma ampliada, as várias tonalidades desta cor. Se me fosse perguntado, não saberia dizer de qual matiz mais gostei, pois gosto de todos. Simplesmente, aprecio o azul.

Azul é uma cor que acalma e contribui para a saúde emocional, além de proporcionar condições para exercitar a mente com clareza. Por incrível que pareça, na presença do azul, a inspiração pode atingir o seu grau máximo.


Independente do que ela represente, de sua fonte e de seus efeitos sobre o organismo, o azul é lindo e é uma de minhas cores favoritas.

Copyright ©Josselene Marques
Apesar de ser classificada como a mais fria das cores, no Brasil, quando alguém se sente feliz, diz que “está tudo azul”. Já em outros países ela é sinônimo de tristeza.

domingo, 4 de março de 2012

Um jovem de futuro

A base de Joy


Ele tem um apelido bastante apropriado: Joy (substantivo inglês correspondente à alegria), pois, desde o seu nascimento até os dias atuais, só tem nos dado satisfação com o seu jeito de ser, pensar e agir.
Ainda na tenra idade, aos 10 anos, foi morar com a mãe, na Europa. Adolesceu por lá, aprendeu o idioma italiano e pagou o preço de viver longe de seu país por um período que, para nós, seus familiares, pareceu uma eternidade. Um belo dia, para nosso contentamento, ele retornou. Em dois anos, recuperou e ampliou o português, aprendido nas séries iniciais, concluiu o Ensino Fundamental e, em seguida, deu início ao Ensino Médio – concluído em tempo hábil. Prestou vestibular para Gestão Ambiental na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN. Foi aprovado na primeira tentativa. Desde então, a universidade tem sido a sua segunda casa, na qual ele passa o dia e parte da noite – houve, inclusive, ocasiões em que experimentou dormir nesse campo do saber. Tudo isso para dar conta da graduação e das tarefas como bolsista do PIBIC/CNPq (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica/Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Antes de ser contemplado com a bolsa do CNPq, atuou como coordenador de uma equipe do Programa de Capacitação de Professores: educação ambiental como práxis do saber – ProCEA, monitor de italiano no Núcleo de Línguas Estrangeiras da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – NEEL/UERN, além de haver ministrado aulas de informática no Projeto Mais Educação.
Para o nosso espanto, amadureceu rápido – o que pode ser comprovado durante as palestras que profere em diferentes instituições públicas e privadas. Chegou até a ministrar capacitações para os seus ex-professores das escolas de primeiro e segundo graus de ensino. Vale salientar que ele tem apenas 21 anos e a habilidade necessária para conciliar tudo isso e, ainda, encontrar tempo para lazer e fazer o que é inerente a um jovem de sua idade.
Neste último final de semana, nós todos testemunhamos o resultado de tanta dedicação, tanto empenho, tanta disposição. Este jovem acaba de ser aprovado para fazer a Graduação Sanduíche do Programa Ciência Sem Fronteiras do Governo Federal do Brasil. No segundo semestre, deste ano, ele retornará à Itália na condição de pesquisador bolsista brasileiro, podendo permanecer nesse país por cerca de um ano.
Joy é um exemplo concreto do que eu falo, diariamente, para os meus alunos: o estudo abre mentes, fronteiras, portas e transforma a vida para melhor.


Alguns momentos importantes da vida de Joy




Ao meu adorado sobrinho, só me resta agradecer por tantas alegrias, continuar a orientá-lo, sempre que precisar, e torcer muito para que ele continue crescendo e possa, num futuro próximo, contribuir de forma significativa para o progresso deste país que está investindo nele.
Que Deus o abençoe e proteja sempre!

Copyright © Josselene Marques